Bolsonaro quer explicações de Marcelo Queiroga sobre vacinação de adolescentes

Presidente não gostou da decisão do Ministério da Saúde que liberou a retomada da imunização de jovens de 12 a 17 anos contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2021 08h09 - Atualizado em 24/09/2021 10h16
WALLACE MARTINS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOBolsonaro citou como exemplo Marcelo Queiroga, que mesmo vacinado contraiu o coronavírus, para criticar obrigatoriedade da vacinação

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 23, que vai cobrar explicações do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, sobre a decisão da pasta de liberar a imunização de adolescentes de 12 a 17 contra a Covid-19. O chefe do Executivo sinalizou que não gostou da liberação e disse que quer informações sobre denúncias de que jovens estariam tomando doses de vacinas não aprovadas para essa faixa etária. O presidente ainda voltou a criticar a proposta de criação de um passaporte de imunização e defendeu o direito dos cidadãos de escolherem se querem a vacinação, tema que é criticado por autoridades de saúde, que defendem a imunização como uma medida de saúde coletiva. Na transmissão nas redes sociais, Bolsonaro citou como exemplo Marcelo Queiroga, que mesmo vacinado contraiu o coronavírus.

“O ministro tomou as duas doses da CoronaVac e está infectado. Vivia de máscara e está infectado. Você pode atrasar, mas dificilmente vai limitar, isso é muito difícil evitar”, disse. O presidente demostrou insatisfação com a quarentena que ele está cumprindo após ter contato com o ministro da Saúde. Ele disse que questionou a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde sobre o período de isolamento. No entanto, tanto o presidente quanto outras pessoas da comitiva que foi a Nova York terão que cumprir as indicações e fazer testes para a Covid-19.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin