Brasil registra 105 mil novos sistemas de geração distribuída em cinco meses

Número representa acréscimo de 1 gigawatt de janeiro a junho deste ano; consumidores com instalação da energia solar dobraram em 2020

  • Por Jovem Pan
  • 05/07/2021 06h37 - Atualizado em 05/07/2021 12h31
Pixabay Casa com instalação de sistema de energia solar Bandeira vermelha patamar 2 nas contas subiu 52%, passando de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos

O empresário Rafael Paiva não está preocupado com o aumento na conta de luz. Ele aderiu ao sistema solar de geração distribuída. “O valor do investimento foi de R$ 23.500, a gente acabou fazendo esse financiamento de 72 meses. Depois do período de financiamento você já pagou o equipamento e ele tem duração de 20 anos”, comenta, analisando o custo benefício. “Todo o mês a pessoa vem medir e ela fala assim ‘você gerou tanto e gastou tanto, você tem um crédito de tanto’. Esse crédito você pode consumidor no período de cinco anos e no período do inverno, que tem as baixas, você usa esse crédito para não ter que pagar a conta, para não ter que pagar além do mínimo que eles cobram”, relata. De janeiro a junho, 105 mil novos sistemas de geração distribuída foram instalados no Brasil, 1 gigawatt em cinco meses e o país já alcança 6 GW. Esses consumidores residenciais dobraram em 2020, mas a grande maioria dos brasileiros terá de pagar a conta de luz com aumento, em razão do baixo volume das represas pela maior seca em 91 anos e seus impactos nos custos de geração de energia.

O inverno já há um período de luz natural menor que ia já refletir na conta de energia. Com as temperaturas mais baixas, os aparelhos que produzem calor, como o chuveiro elétrico, ferro de passar roupa e secadora de roupas, vão gastar mais energia. Por isso, é preciso cuidado para não tomar um susto na primeira conta com o novo aumento. A bandeira vermelha patamar 2 nas contas subiu 52%, passando de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos. A analista Silvia Machado reforça a mudança de hábito nas residências para baixar as contas de luz. “Ou seja, em pleno inverno banhos mais curtos. Aquecedor em pleno inverno? Capricha na manta. Máquina de secar roupa é um tremendo gerador de calor, então comece a organizar em casa o dia que vai secar roupa, não ligar mais de uma vez na semana”, ressalta. Silvia Machado lembra que o consumidor deve ficar atento ao selo verde que indica o consumo de energia dos aparelhos e retirar os equipamentos da tomada.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos