Brasileiros que estudam nos EUA relatam dificuldades para voltar ao país

Em maio, o presidente Donald Trump proibiu a entrada de estrangeiros vindos do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 17/08/2020 07h45 - Atualizado em 17/08/2020 08h21
PixabayEstudantes brasileiros procuraram deputados federais para pedir ajuda e cobram, agora, apoio do Itamaraty

Daniel Setton está no terceiro ano do curso de administração e marketing na Universidade de Evansville, no estado norte-americano de Indiana. Ele voltou à cidade natal de Maceió em 22 de março por causa da pandemia do coronavírus, e agora não consegue embarcar novamente para os Estados Unidos. O motivo é que, em maio, o presidente Donald Trump proibiu a entrada de estrangeiros vindos do Brasil, depois que o país se tornou o segundo com o maior número de infectados por Covid-19.  As aulas de Daniel voltam no próximo dia 26 e ele teme perder a bolsa e até o visto que possui se continuar preso no Brasil.

Segundo a Associação de Estudantes Brasileiros no Exterior, entre 10% a 20% dos alunos que estudam nos Estados Unidos tiveram que tomar uma decisão difícil: trancar o curso. O presidente da associação, Rafael Monteforte, explica que mesmo os alunos que resolveram fazer as aulas online, daqui no Brasil, serão prejudicados.”A grande diferença na experiência acadêmica nos Estados Unidos é a extensão, o que você faz além da sala de aula da faculdade. E isso vai ser extremamente afetado para os estudantes que não puderem voltar e tiverem que trancar seus cursos”, afirma.

Na semana passada, estudantes brasileiros procuraram deputados federais para pedir ajuda. Um desses parlamentares foi Kim Kataguiri (DEM-SP), que criticou a falta de empenho do Itamaraty. “Eu tenho reunido e conversado com outros parlamentares para que a gente faça uma manifestação oficial via Congresso para que haja celeridade por parte do Itamaraty para esse procedimento”, ressalta o deputado. Daniel cobra uma negociação por parte do Itamaraty. “Se eles não vão negociar para os brasileiros, se não vão defender os interesses dos brasileiros, que é obrigação do Itamaraty, se não vão fazer isso, quem fará por nós?”, questiona.

*Com informações da repórter Nicole Fusco