Calor, cloro e sal: saiba como proteger a pele e os cabelos no verão

De acordo com o INCA, o câncer de pele corresponde a 27% de todos os tumores malignos no país

  • Por Jovem Pan
  • 23/01/2022 10h02 - Atualizado em 23/01/2022 10h03
Reprodução/Pixabay/Peggy_Marco Pessoas jogando bola na área da praia sol, praia, calor

O verão é, sem dúvida, uma das estações mais apreciadas pelos brasileiros. Por ser um país tropical, o começo do ano costuma ser quente com bastante sol. Neste momento, praticamente todo mundo quer correr para curtir alguma praia e aproveitar o clima ensolarado. Mas especialistas alertam que o sol em excesso pode ser prejudicial. Segundo o dermatologista Guilherme Gardens, assessor do Departamento de Oncologia Cutânea da Sociedade Brasileira de Dermatologia, se expor aos raios solares sem os devidos cuidados pode causar queimaduras, envelhecimento precoce da pele e até mesmo aumentar o risco câncer. “Eu acredito que a ideia principal é focar justamente nos cuidados antes dessa exposição para minimizar esses danos e não correr atrás do prejuízo posteriormente”, afirmou Gardens. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), os números de câncer de pele no Brasil são preocupantes. A doença corresponde a 27% de todos os tumores malignos no país.

Por isso, ainda segundo o especialista, ficar na praia ou na piscina por mais tempo pode ser muito divertido, mas requer alguns cuidados muito importantes. “Outras dicas são utilização de proteções físicas, ou seja, usar boné e chapéus. Hoje em dia nós temos muitas roupas com alto fator de proteção ultravioleta. Elas também são bastante úteis e práticas, inclusive, paras crianças, tornando a área de aplicação do protetor solar menor”, sugeriu o dermatologista. O verão está aí e as pessoas querem curtir a estação mais alegre do ano. Na praia, na piscina, sobre o sol, a proteção da pele, eu garanto, quase ninguém esquece. Mas e os cabelos? O cabeleireiro Nell Carmo explica, que durante o verão, os cabelos ficam ainda mais expostos e sofrem agressões vindas da radiação solar, da água, do mar, do cloro e da poluição e que os efeitos são imediatamente perceptíveis.

“Nós queremos que protejam o cabelo antes. Mas, quando isso não acontece, os clientes vem com o cabelo sensibilizados devido todo o processo orgânico da praia, da piscina, todo esse processo químico que acontece. Então, o que nós fazemos nessa sequência? Nós pedimos para eles fazerem um cronograma capilar”, explica. Ainda de acordo com o Nell Carmo, é possível, sim ,cuidar dos cabelos para recuperar a hidratação e a saúde dos fios e reverter os danos acumulados no verão. “E aí cabe a nós profissionais cuidar e recuperar essa fibra, estabilizar o PH, cuidar de toda a acidez desse cabelo, se ele tá alcalino, se ele tá ácido”, descreve o profissional. Dados da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosmético apontam que, de janeiro a dezembro de 2020 na comparação com 2019, shampoos tiveram um crescimento de vendas de 7,9%, condicionadores de 18,6% e produtos de tratamento capilar de 12,6%.

*Com informações da repórter Caterina Achutti