Capitão Augusto estima que PL receba mais de 20 deputados com ida de Bolsonaro ao partido

Parlamentar acredita que a filiação pouco afetará os rumos do Partido Liberal, pois a legenda já é muito alinhada com as propostas do chefe do Executivo

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2021 13h30
Luis Macedo/Câmara dos DeputadosCapitão Augusto concedeu entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News

O deputado federal Capitão Augusto (PL) avaliou neste domingo, 5, o impacto da ida do presidente Jair Bolsonaro ao partido. Em entrevista ao Jornal da Manhã, o parlamentar analisa que a “balança” pende para o lado positivo. “A nossa expectativa é muito boa. Devemos perder, sim, um ou dois deputados federais. Em contrapartida, devem vir na janela de 20 a 25 novos deputados para o PL. Após as eleições, tudo indica que a gente deva atingir o número aí de pelo menos 60 parlamentares eleitos para a Câmara dos Deputados, além dos senadores. Para nós, quando se coloca na balança, os números falam por si só”, afirma Capitão Augusto, que vê como natural o fato de alguns parlamentares não se sentirem mais confortáveis na legenda, como é o caso do vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos. “É lógico que o presidente Bolsonaro não é o melhor para o país, por isso não posso estar no palanque dele”, disse Ramos à Jovem Pan.

“Acredito que não haverá problema nenhum, com exceção de um Estado ou outro ou um parlamentar ou outro que não goste ou não queria participar de uma candidatura que tenha o presidente Bolsonaro encabeçando com a ideologia, filosofia e com o posicionamento político dele. Mas isso é bastante natural, é impossível ter unanimidade, ainda mais em um Partido tão grande quanto o partido liberal”, ponderou Capitão Augusto. O deputado acredita que a filiação de Bolsonaro pouco afetará os rumos do Partido Liberal, pois a legenda já é muito alinhada com as propostas do chefe do Executivo. “O Partido Liberal se casa muito bem com as propostas do presidente Bolsonaro, tanto é que somos base na Câmara dos Deputados e talvez o partido que mais vota em bloco pelos projetos do presidente Bolsonaro”, disse.