Com alta do ICMS e crise, venda de veículos recua 8% em janeiro

Índice compara o faturamento com número registrado no início de 2020; sobre o mês de dezembro, a diminuição foi de 24,5%

  • Por Jovem Pan
  • 03/02/2021 07h29 - Atualizado em 03/02/2021 07h33
Fábio Vieira/Estadão ConteúdoO presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, pontua a segunda onda da Covid-19 e o aumento da alíquota pelo Estado de São Paulo como contribuições para as dificuldades no setor

A venda de veículos caiu 8% em janeiro em comparação com o início de 2020, 274 mil carros, comerciais leves, caminhões, ônibus, motos e implementos rodoviários. Sobre dezembro houve recuo de 24,5%. O presidente da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), Alarico Assumpção Júnior, avalia a queda no mercado. “O IPVA, IPTU, despesas com escola, material escolar e por aí vai. Não obstante, a queda foi muito acentuada em virtude de algumas vertentes, o que nós podemos chamar da segunda onda da Covid-19 em São Paulo muito fortemente e em algumas outras localidades também importantes para o setor da distribuição, a questão das dificuldades das montadoras e das fábricas de veículos instaladas no país por falta de peças e componentes, seja componentes também do mercado doméstico como equipamentos importados. Acredito que muito fortemente em componentes eletrônicos também e isso dificultou. E o mais lamentável de todos foi a majoração da alíquota pelo Estado de São Paulo”, afirmou. O Estado elevou no final do ano o ICMS sobre vendas de veículos, sendo os novos de 12% para 13,3% e os usados de 1,8% para 5,52%.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos