Com mais de 10 mil internados, SP endurece quarentena a partir desta quarta

O governador João Doria pede que a população, principalmente os jovens, evitem festas com aglomerações para conter a disseminação do coronavírus

  • Por Jovem Pan
  • 02/12/2020 07h41 - Atualizado em 02/12/2020 11h58
EFE/ Sebastião MoreiraPersonas con tapabocas caminan en una calle, el pasado 9 de junio del 2020, en la ciudad de Sao Paulo (Brasil). EFE/ Sebastião Moreira

Com limitações no funcionamento do comércio e serviços, o Estado de São Paulo retorna para a fase amarela do plano São Paulo de flexibilização. Ao todo, seis regiões, incluindo a capital paulista, regrediram da fase verde, enquanto outras 11 regiões já se encontravam na fase amarela, que passa a valer para todo o estado. O governador João Doria, que participou de uma reunião virtual com 62 prefeitos paulistas para ampliar condutas contra o coronavírus, comentou sobre o endurecimento das restrições. “Nós não tomamos decisões de ordem politica, não tomamos decisões por pressão econômica, pessoal, familiar ou de amigos. Aqui só há uma orientação, orientação da saúde, da medicina e, portanto, da ciência.”

Após mais de dois meses, o Estado de São Paulo voltou a registrar mais de 10 mil internados por Covid-19, sendo 44% a mais em relação ao mês passado. “E é exatamente em nome dessa preservação da vida que vamos precisar muito da cooperação de vocês nesta etapa, neste momento, como já obtivemos ao longo de todos esses meses. Mas especialmente neste final de ano. Nós reconhecemos que as pessoas estão cansadas, dado ao longo período desta pandemia. Mas até a chegada da vacina e a imunização com as vacinas, nós não temos outro caminho senão a proteção com máscaras, com uso de álcool gel, com higienização das mãos, com o distanciamento social e evitando aglomerações de pessoas”, disse. E para evitar o aumento dos casos de internação e conter o avanço da doença, o governador reforça a preocupação com os jovens e as festas de final de ano. “Para que elas não sejam autorizadas pelas prefeituras em todo o Estado de São Paulo, seja no literal, seja o campo, seja em outros urbanos. Nós, que sempre festejamos o Natal, faremos esta celebração em casa, de forma cuidadosa, zelosa, sem aglomerações e sem festas. Não é hora de fazer festa de Réveillon, festa entre amigos e nem mesmo entre famílias”, destaca. O estado de São Paulo registra mais de 42 mil mortes pela Covid-19 e cerca de 1,2 milhão de casos da doença.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos