Comércio eletrônico acelera busca por galpões no Brasil durante pandemia

Com procura de espaços, sobretudo em um raio de 30 quilômetros da cidade de São Paulo, taxa de vacância da capital tem menor percentual da história

  • Por Jovem Pan
  • 09/05/2021 12h09
Divulgação/GLP BrasilEmpresas de e-commerce procuram alugar galpões

A pandemia fez com que o mercado logístico de São Paulo registrasse o menor percentual de vacância da história com o aceleramento da procura por galpões destinados ao e-commerce, sobretudo num raio de 30 quilômetros da capital. “Empresas desse segmento começaram a expandir e nacionalizar bastante o portfólio. Em segundo lugar, a gente tem as empresas de logística”, explica o head de inteligência de mercado da Cushman & Wakefield, Jadson Andrade. Ele reforça que o setor repete o bom desempenho do ano passado no primeiro trimestre de 2021. O Estado de São Paulo tem uma taxa de vacância de 10%, diminuindo para 5% na capital, com poucas e caríssimas opções de locação. “Chegaram ao patamar de R$ 33 por metro quadrado. Olha a diferença do preço. É quase o dobro do que se pratica no Estado. Então você tem situações de inquilinos que precisam crescer em uma região em que a vacância é menos de 2%, não tem espaço, e a maioria do tempo o preço é acima de R$ 30, eles começaram a partir para um raio um pouco maior, onde tem mais oferta”, explicou. O movimento é nacional. De acordo com a consultoria Cushman & Wakefield, o primeiro trimestre fechou com 15 milhões de metros quadrados de galpões no Brasil, um volume 7% maior sobre o mesmo período do ano passado.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos