Confirmado pelo colégio eleitoral, Biden diz que ‘a democracia venceu’

Pouco depois, o presidente Trump anunciou a saída de William Barr, secretário que refutou as supostas fraudes

  • Por Jovem Pan
  • 15/12/2020 10h22
EFE/EPA/JIM LO SCALZOApesar de ser um procedimento feito por uma questão formal, ele ganhou destaque pela recusa de Trump em aceitar a derrota

Em mais um processo das eleições norte-americanas, Joe Biden foi oficializado como presidente eleito. Nesta etapa, os 538 eleitores dos 50 Estados e do Distrito de Columbia confirmam seus votos mediante os resultados de cada unidade federativa. Esse delegados que elegem o presidente são nomeados com a certificação dos resultados de cada Estado. Todas as unidades protocolaram os dados até a semana passada. Apesar de ser um procedimento feito mais por uma questão formal, ele ganhou destaque pela recusa de Donald Trump em aceitar o resultado do pleito. No início da noite da segunda-feira, 14, com os 55 votos da Califórnia, Joe Biden já tinha ultrapassado, oficialmente, os 270 votos mínimos para se tornar presidente.

Após a confirmação da vitória, o democrata disse que os princípios do país foram “pressionados, testados, ameaçados, mas não desmoronaram”. Segundo Biden, a democracia “venceu”. O processo eleitoral dos Estados Unidos ainda não acabou por completo: as cédulas depositadas pelos delegados serão enviadas até o dia 23 de dezembro para Washington, onde serão formalmente recebidas e contadas em uma solenidade no Congresso. Joe Biden deve assumir a Casa Branca no dia 20 de janeiro. Nesta segunda-feira, Donald Trump anunciou a saída do secretário de Justiça, William Barr, pouco tempo depois do anúncio da vitória do democrata pelo Colégio Eleitoral. Barr e Trump estavam se desentendendo depois que o secretário afirmou não ter havido fraude eleitoral generalizada nas eleições.

*Com informações da repórter Camila Yunes