Congresso precisa criar espaço no orçamento para obras, diz Marinho

Em entrevista ao programa “3 em 1” da Jovem Pan, Marinho disse há “consenso” em torno da necessidade destes recursos

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2020 06h09
Isac Nóbrega/PRO ministro reafirmou que a discussão sobre o compromisso do governo federal com o teto de gastos já está superada

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, disse nesta segunda-feira, 7, que o Congresso Nacional deve deixar espaço no orçamento para obras de infraestrutura. A proposta de Lei Orçamentária Anual de 2021, enviada pelo governo aos parlamentares na semana passada, prevê aumento de 3% na verba destinada ao setor. Em entrevista ao programa “3 em 1” da Jovem Pan, Marinho disse há “consenso” em torno da necessidade destes recursos. “Há um consenso fora do governo, há um consenso no parlamento que há necessidade de criar algum espaço orçamentário para que programas importantes, tanto na área social quanto de infraestrutura, não sejam paralisados”, defende.

O ministro reafirmou que a discussão sobre o compromisso do governo federal com o teto de gastos já está superada. “Eu acho que a discussão já está madura dentro do governo de tal forma que foi superada esta questão de teto ou não teto. Tanto que estamos encaminhando com a mudança, que já foi encaminhada, dentro do orçamento. É isso que tá acontecendo”, afirma. Marinho também comentou uma portaria publicada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional na semana passada, que regulamentou a concessão de elogios aos servidores. O documento, assinado pelo pelo secretário-executivo da pasta, Claudio Xavier Filho, enumera quais atos são dignos de “referências elogiosas”. O ministro chamou a portaria de “grotesca” e disse que soube da existência do texto pela imprensa. “É uma piada pronta, né? Eu achei uma coisa engraçada e grotesca ao mesmo tempo. Me foi explicada que esta era uma forma de evitar, inclusive, os excessos de elogios”, reforça.

*Com informações do repórter Vitor Brown