De saída da Presidência, Temer diz que guarda mágoas dos ‘ataques de natureza moral’ que sofreu

  • Por Jovem Pan
  • 21/12/2018 06h41
EFE/Fernando Bizerra Jr "Quando vêm os ataques de natureza moral, isso me caceteia, me chateia, me aborrece", disse

O presidente da República, Michel Temer, disse que leva, com mágoa, os ataques, de natureza moral, que sofreu ao longo da gestão dele. A declaração foi dada nesta quinta-feira (20) em um encontro de fim de ano com os servidores da Presidência, no Palácio do Planalto.

O emedebista também disse que estes ataques são as únicas coisas que o aborrecem: “eu levo isto como uma mágoa. Foram os ataques de natureza moral, sempre fui discreto e tudo que faço e quando vêm os ataques de natureza moral, isso me caceteia, me chateia, me aborrece. No mais só posso orgulhar-me daquilo que fiz ao longo do tempo”.

Ele também afirmou que sempre teve uma vida pública “muito exata e muito correta”.

Esta foi a primeira manifestação pública de Temer após a Procuradoria-Geral da República denunciá-lo pela terceira vez. O emedebista é acusado de ter recebido vantagens indevidas por ter editado um decreto que beneficiou empresas do setor portuário.

No discurso desta quinta-feira, Temer avaliou como “dificílimos” os dois anos e oito meses em que esteve à frente do governo, mas enfatizou as reformas que foram aprovadas neste período: “eu digo sempre que nós acabamos trazendo o Brasil para o século 21 com as várias reformas que fizemos”.

Temer ainda disse que enfrentou uma oposição política legítima, mas “feroz”.

*Informações do repórter Afonso Marangoni