‘Demanda represada’ por atendimentos é desafio para o SUS, diz Pazuello

No evento, o ministro da Saúde admitiu que desconhecia a dimensão do SUS antes da pandemia

  • Por Jovem Pan
  • 08/10/2020 05h53 - Atualizado em 08/10/2020 08h44
Carolina Antunes/PRO ministro afirmou que "nem sabia o que era o SUS" antes da pandemia

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta quarta-feira, 07, que o Sistema Único de Saúde (SUS) terá pela frente o desafio de atender demandas represadas por causa da Covid-19. A declaração foi dada durante o lançamento da campanha “Outubro Rosa 2020”, que tem como objetivo conscientizar a população sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce do câncer de mama. Dados do ministério revelam que um milhão de mamografias deixaram de ser realizadas apenas na rede pública no primeiro semestre, uma redução de quase 50% em relação a 2019. No evento, Pazuello admitiu que desconhecia a dimensão do SUS antes da pandemia.

“Eu não sabia nem o que era o SUS, porque eu passei a minha vida sendo tratado também em instituição pública, mas específica do Exército. Vim conhecer o SUS a partir desse momento da vida e compreendi a magnitude dessa ferramenta. A segunda onda da pandemia não é o repique é exatamente as doenças e os tratamentos que foram interrompidos ou que não foram começados”, afirma. Todas as mulheres entre 50 e 69 anos atendidas em Unidades Básicas de Saúde serão informadas sobre a possibilidade de realização da mamografia. Os médicos recomendam repetir o exame a cada dois anos. A estimativa é que o Brasil termine o ano com mais de 66 mil novos diagnósticos de câncer de mama.

*Com informações da repórter Nanny Cox