DF tem protestos em primeiro dia útil sob lockdown; mais estados ampliam restrições

Na capital federal, mais de 120 estabelecimentos foram fechados após vistoria e um foi interditado

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2021 06h56
Marcello Casal Jr./Agência Brasil O governador Ibaneis Rocha prometeu flexibilizar parte das restrições antes do dia 15 de março

O primeiro dia útil de lockdown no Distrito Federal foi marcado por protestos contra as medidas. O movimento de pessoas diminuiu, mas algumas lojas permaneceram abertas e ambulantes seguiram trabalhando em Brasília. Mais de 120 estabelecimentos foram fechados após vistoria e um foi interditado por descumprir as determinações. O governador Ibaneis Rocha prometeu flexibilizar parte das restrições antes do dia 15 de março, quando termina o decreto que instituiu o bloqueio de atividades.

Nesta segunda, mais estados anunciaram novas medidas restritivas contra o avanço da Covid-19. Em Mato Grosso, o governo adotou toque de recolher entre 21h e 5h e, aos fins de semana, a proibição dos serviços vai vigorar a partir do meio-dia de sábado até a manhã de segunda. Segundo o governador Mauro Mendes, as medidas passam a valer a partir de hoje e serão válidas inicialmente por 15 dias. “Nós teremos que tomar medidas mais restritivas para evitar circulação de pessoas e, com isso, evitar a circulação do vírus.”

Em Pernambuco, o governo ampliou o toque de recolher e restringiu o acesso a parques, shoppings e clubes nos finais de semana. Segundo o governador Paulo Câmara, nas praias será permitida apenas a prática de atividades esportivas individuais. “Essas medidas serão válidas até 17 de março, deixando sempre claro que supermercados, padarias, farmácias, postos de gasolina, delivery e pontos de coleta dos restaurantes permanecem funcionando. A contaminação e a hospitalização estão em aceleração e precisamos reduzir o contato social para frear a escalada dos números.”

*Com informações da repórter Letícia Santini