Distanciamento, álcool gel e uso de máscaras: Entenda como ter uma ceia de Natal segura

Para o infectologista Jamal Suleiman, a melhor opção é manter as comemorações apenas em ambiente virtual neste fim de ano

  • Por Jovem Pan
  • 23/12/2020 12h17 - Atualizado em 23/12/2020 12h19
FreeimagesSó tire a máscara quando sentar-se a mesa, acomode idosos em um ambiente mais seguro e não se esqueça de higienizar as mãos antes de compartilhar talheres

Uma linda noite de Natal é o que todos os brasileiros gostariam de viver nesse ano. Mas, por causa do novo coronavírus, dessa vez, será um pouco diferente. A mesa bonita pode até permanecer, porém, o jeito como nos comportamos nas festas precisa mudar, explica o infectologista Jamal Suleiman. “A recomendação para as famílias que vão se reunir no Natal é que elas façam isso exclusivamente com o núcleo que se encontra reunido desde que a pandemia começou, que não receba ninguém de outro núcleo que seja este que está na casa neste tempo todo. Não deixe ninguém de fora entrar, porque cada indivíduo que chega traz consigo uma bagagem de outras pessoas, que é um risco para quem está nessa casa.”

O isolamento social em épocas de pandemia é essencial para a segurança de todos. Mesmo assim, se você for se reunir com pessoas da sua família que moram em casas distintas, é necessário manter distância de até um metro e meio. Só tire a máscara quando sentar-se a mesa, acomode idosos em um ambiente mais seguro e não se esqueça de higienizar as mãos antes de compartilhar talheres. E o mais importante: nesse ano, evite os abraços. A arquiteta e florista Juliana Manzoli ensina como montar uma ceia natalina com segurança. “Montei a mesa com espaçamento, não usei a mesa inteira, tirei duas cadeiras para ter mais espaço. A minha sugestão é marcar o copo de cada um com um caneta para depois não ter perigod de compartilhar copo, se usar o copo errado. Coloquei também o buffet separado, para ficar mais fácil o acesso, e com máscara descartável ao lado e o álcool gel passar sempre nas mãos antes de se servir.”

Para o médico infectologista, a melhor maneira de se prevenir seria fazer a festa à distância. “A comemoração virtual ela é uma estratégia extremamente impotante, porque o distanciamento deve ser físico. Você pode, e deve, manter o contato com todo mundo usando essas tecnologias que a gente tem disponível, que é o encontro por meio de uma tela de telefone ou computador. Então, nesse momento, se você quer ter vários Natais, várias comemorações, evite esse tipo de comemoração com aglomeração, porque o risco nessa fase da pandemia é extremamente alto”, diz. Juliana me conta que recebeu diversas ligações de famílias pedindo ajuda para cumprir os protocolos de segurança e não deixar de fazer a festa. “Muita gente me ligando pergutando, tem gente que vai acabar fazendo a distancia mesmo, mas brasileiro gosta de se encontrar. Então, se puder ficar de máscara o tempo todo, álcool gel, na hora dos presentes lembrar de ficar de máscara. E nesse ano não vai poder ter o beijo e o abraço, mas o carinho e intenção serão os mesmos.”

*Com informações da repórter Mônica Simões