Eleições regionais na França terminam com derrotas para Le Pen e Emmanuel Macron

Partidos e coalizões governistas de direita foram eleitos em sete conselhos; no entanto, com baixa participação popular, resultado pode não se repetir nas eleições presidenciais de 2022

  • Por Jovem Pan
  • 28/06/2021 04h35 - Atualizado em 28/06/2021 10h15
EFE/EPA/STEPHANIE LECOCQ O presidente da França Emmanuel Macron durante pronunciamento

O presidente da França, Emmanuel Macron, e a líder da extrema-direita, Marine Le Pen, saíram derrotados das eleições regionais no país. No pleito, os franceses escolhem os presidentes dos 13 conselhos regionais, cargo semelhante ao de governadores. Às vésperas da corrida presidencial, os partidos “A República em Marcha”, de Macron, e Reunião Nacional, de Le Pen, não conquistaram nenhum cargo. Partidos e coalizões governistas de direita foram eleitos em sete conselhos, enquanto os de esquerda em cinco e os regionalistas em um. Os resultados marcam a volta da direita tradicional francesa pelo Partido Socialista e pelo “Os Republicanos”, ambos esmagados com a vitória de Macron em 2017.

No entanto, analistas pedem cautela ao dizer que a situação pode se repetir nas eleições presidenciais do ano que vem. Uma das razões é a baixa participação: 66,7% dos franceses não foram às urnas, uma abstenção recorde nas regionais. Emmanuel Macron, que viajou pelo país na última semana para conquistar votos no partido, evitou se colocar como candidato à reeleição. Questionado, o presidente francês disse que ainda é muito cedo para dizer e completou que terá que fazer escolhas difíceis na reta final do mandato.

*Com informações da repórter Nanny Cox