Em crítica à CPI da Covid-19, Bolsonaro volta a negar corrupção no governo

Presidente reclamou da falta de seriedade e disse que o colegiado não serve para nada

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2021 08h46 - Atualizado em 02/07/2021 17h14
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDOPresidente também voltou a questionar a eficácia da CoronaVac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan

Com duras críticas à CPI da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro rebateu denúncia de que o governo teria negociado propina durante compra de vacina contra a Covid-19. Ele voltou a reclamar de “perseguição” e garantiu que, depois de mais um dia de depoimento, não há qualquer prova contra o governo federal. Bolsonaro reclamou ainda da falta de seriedade e ressaltou que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) não serve para nada. “Que a CPI contribuiu para reduzir o número de mortes? Nada. É só um inferno o tempo todo, tentando de toda maneira atingir o governo. ‘Comprou vacina superfaturada em 1000%’, mentira. Não gastamos um centavo com vacina”, disse. O presidente também voltou a questionar a eficácia da CoronaVac, imunizante produzido pelo Instituto Butantan. Além disso, ele manteve o discurso de que as mortes por Covid-19 estariam superdimensionadas e levantou dúvidas sobre a real ocupação do leitos.

“Estive com a CGU, ministro Wagner Rosário, falando sobre a questão de óbitos no Brasil. O cara chega lá com várias comorbidades, não sei o que, não sei o que, suspeita de Covid. O que entra aqui? Suspeita de Covid. Isso está sendo feito até agora para consolidar esses números”, afirmou. Ao ser perguntado sobre o movimento dos bares, hotéis e restaurantes que estudam cobrar na Justiça prejuízos causados pelas medidas de isolamento social, o presidente voltou a dizer que ele não fechou nada, criticando os governadores. Bolsonaro informou ainda que participará de um novo encontro com motociclistas em Bento Gonçalves e Caxias no dia 10 de julho e nos dias 16 e 17 estará em Manaus.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin