Em discurso, ex-prefeito admite ter roubado menos que atual detentor do cargo

Em 2009, Monção foi preso preventivamente como suspeito de participar de desvio de mais de R$ 2 milhões do Fundeb

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2020 06h37 - Atualizado em 08/09/2020 08h11
ReproduçãoJá em 2015, ele foi detido por ter falsificado, em 2010, documentos da Câmara Municipal

Durante uma convenção do MDB para oficializar a candidatura do médico Cristiano Britto à prefeitura de Cocal, cidade localizada a 226 km de Teresina, no Piauí, o ex-prefeito da cidade, José Maria Monção, comparou-se ao atual detentor do cargo, Rubens Vieira (PSDB) e disse ter roubado menos que ele. Os presentes reagiram ao depoimento com risadas e palmas. O evento contou com a presença do senador Ciro Nogueira, presidente nacional do PP.

O ex-prefeito falou ainda que “político rouba, mas rouba para dar ao povo”. “Eu fui prefeito três vezes, sei o sofrimento. Mas também não roubei o tanto que esse aí roubou. Esse é um descarado, está afundando Cocal. Posso até ter tirado alguma coisa e dado para os pobres. Se eu fui preso tem um motivo. Mas o que acontece: politico rouba para dar ao povo, é difícil o cara rouba para si”, declarou José Maria.

Em 2009, Monção foi preso preventivamente como suspeito de participar de desvio de mais de R$ 2 milhões do Fundeb. Já em 2015, ele foi detido por ter falsificado, em 2010, documentos da Câmara Municipal a fim de aprovar contas da sua gestão como prefeito e poder concorrer como deputado no pleito daquele ano. A pena foi convertida em prestação de serviços comunitários.

*Com informações da repórter Camila Yunes