Equipe econômica orienta governistas a não falar em impossibilidade de votar reformas

  • Por Jovem Pan
  • 26/09/2017 06h11 - Atualizado em 26/09/2017 11h00
Brasília - DF, 30/06/2016. Presidente em Exercício Michel Temer durante encontro com representantes da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil - CACB. Foto: Beto Barata/PR Beto Barata/PR Esta será mais uma semana de tentativa de votação da reforma política, que vai empacar no Senado se for concluída na Câmara

A equipe econômica orienta os líderes governistas no Congresso a não assumirem oficialmente sobre impossibilidade de votação das reformas, principalmente a da Previdência.

Esta será mais uma semana de tentativa de votação da reforma política, que vai empacar no Senado se for concluída na Câmara. Fim das coligações partidárias e cláusula de barreira são os pontos a serem discutidos.

Agora, o orçamento deste ano e do ano que vem prevê a economia da reforma da Previdência, que não vai acontecer.

O que provoca mais dano é a expectativa de derrota do Governo e o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, calcula que o projeto de reforma da Previdência não consegue hoje mais de 200 votos, quando são necessários 308 votos favoráveis.

Apesar do pessimismo do Governo, a ordem é não jogar a toalha.

*Informações do repórter José Maria Trindade