Apesar da crise, estados tentam manter investimentos sem descumprir teto de gastos

Os estados ressaltam que a reforma tributária será um dos grandes desafios do pós pandemia, a partir de 2021

  • Por Jovem Pan
  • 18/09/2020 05h52 - Atualizado em 18/09/2020 08h12
ALLAN CALISTO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOO governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) avaliou que o grande desafio é manter o controle de gastos

Apesar da pandemia e limitações orçamentárias, estados tentam promover investimentos sem desrespeitar a solidez fiscal. Minas Gerais e Rio Grande do Sul, por exemplo, estariam em piores condições, caso não tivessem aprovado a reforma da previdência. No entanto, os desafios do pós-crise são enormes, pois a arrecadação deve demorar meses para se recuperar. Áreas fundamentais como saúde, educação e segurança pública têm verbas carimbadas, mas insuficientes.

Passada a fase aguda da pandemia, os estados estão revendo projeções e discutindo o orçamento de 2021. Em evento do Centro de Liderança Pública, nesta quinta-feira, 17, o governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo) avaliou que o grande desafio é manter o controle de gastos e defendeu a reforma administrativa. “Tivemos a felicidade de aprovar, há duas semanas, a reforma mais importante do estado, que foi a reforma da previdência”, afirma. Já o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB) afirma que o estado conseguiu avançar com as mudanças previdenciárias. “É duro, não é simpático. Mas sempre disse que não tem solução simpática para uma situação dramática. Fizemos também uma reforma na carreira do serviço público desde professores e policiais”, disse. Ele explicou que os servidores do estado recebiam 5% de aumento a cada 3 anos, de forma automática.

No mesmo evento, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) disse que o poder público atual não consegue nada sem o apoio do setor privado. “Investimentos, doações, serviços,fazendo com que nós tenhamos neste ano dramático um indicador de trabalho produtivo”, diz o governador. Ele destaca que, depois de anos, o executivo conseguiu elaborar políticas para os municípios mais pobres do Maranhão. Os estados ressaltam que a reforma tributária será um dos grandes desafios do pós pandemia, a partir de 2021.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni