Farmácias de São Paulo registram falta de antigripais e testes rápidos de Covid-19

Procura por remédios cresce em meio ao aumento de casos de influenza no Estado; alta nos exames acontece após retorno das aglomerações de fim de ano

  • Por Jovem Pan
  • 06/01/2022 06h46 - Atualizado em 06/01/2022 08h57
ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO Profissional da saúde realiza teste para Covid-19 Em novembro, a média era de 90 mil testes por semana; em dezembro e janeiro saltou para 200 mil testes semanais

Com o aumento de casos de gripe e o avanço da variante Ômicron do coronavírus, remédios antigripais e testes rápido para a Covid-19 estão em falta nas farmácias de São Paulo. Além do tamiflu, os médicos estão prescrevendo muitos antibióticos, que estão escassos. O aumento na procura desses medicamentos não era esperado para o início do ano. Segundo o CEO da Associação Brasileira Redes Farmácias Drogaria (Abrafarma), Sergio Mena Barreto, a época para aumento das vendas de remédios contra influenza acontece entre os meses de abril e maio. “Depende da farmácia, se ela está em local de grande tráfego, por exemplo, isso impacta mais. Então não tem como generalizar o que está faltando”, afirmou.

Nos últimos oito dias, em todo o Estado de São Paulo, a rede Farma Ponte vendeu 17 mil remédios contra a gripe e todos os testes rápidos contra a Covid-19 acabaram. Em novembro, a média era de 90 mil testes por semana. Em dezembro e janeiro saltou para 200 mil testes semanais. A gerente Luciana Piloto espera que novos testes cheguem ainda nesta semana. “Esse final de semana com certeza vai ter teste na rede”, disse à Jovem Pan. Segundo a Abrafarma, na terça-feira, 4, foram realizados 44 mil testes de Covid-19 em todo o país, sendo que 14 mil deram positivo. No dia 22 de dezembro foram realizados 22 mil testes e 2 mil deram positivos.

*Com informações do repórter Victor Moraes