Flávio Bolsonaro devolve loja de chocolates investigada pelo MP no caso das rachadinhas

Segundo a administração do shopping Via Parque, estabelecimento já está na mão de outros empresários

  • Por Jovem Pan
  • 04/02/2021 09h22
Edu Andrade/Estadão ConteúdoFlávio Bolsonaro foi denunciado no fim do ano passado pelo MP fluminense à Justiça, junto com outras 16 pessoas

A loja de chocolate que pertencia ao senador Flávio Bolsonaro em um shopping na Zona Oeste do Rio de Janeiro e que, segundo o Ministério Público, foi utilizada para lavar dinheiro da rachadinha da Alerj, foi vendida. A loja no shopping Via Parque, na periferia da capital, está com tapumes na porta. Segundo a administração, ela não é mais gerida por Flávio Bolsonaro e já está na mão de outros empresários — que estão fazendo obras no estabelecimento. O local passa por obras por tempo indeterminado.

Muitas das investigações sobre o suposto esquema de lavagem de dinheiro da rachadinha da Alerj passam pela loja adquirida pelo filho do presidente Jair Bolsonaro em 2015 e um sócio. A sociedade já tinha sido desfeita. O sócio, que colaborou com algumas investigações em torno do caso, inclusive, alega ter sido ameaçado de morte. Flávio Bolsonaro foi denunciado no fim do ano passado pelo MP fluminense à Justiça, junto com outras 16 pessoas, acusado de crimes como peculato, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Lembrando que, nesta semana, o Ministério Público do Rio de Janeiro recorreu da decisão do ministro do STF, Gilmar Mendes, que suspendeu o julgamento da Justiça sobre o foro para investigar o senador da República no caso das rachadinhas. Para o MP do Estado, a prerrogativa de foro só vale para desvios e crimes cometidos durante o mandato — não pode valer para mandatos anteriores. Flávio é senador agora, mas foi deputado estadual. O Ministério Público entende que cabe ao órgão especial do Tribunal de Justiça decidir se é de sua competência ou não julgar esse caso.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga