Governo sai em defesa de Guedes e Salles rebate críticas ao Brasil

Ministro da Economia causou polêmica ao rebater críticas de países ricos à política ambiental brasileira

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2020 07h31 - Atualizado em 08/08/2020 07h34
Edu Chaves/Estadão ConteúdoMourão não acredita que a fala de Guedes vá afastar investidores do Brasil

O vice-presidente Hamilton Mourão, que voltou a defender a necessidade de se investir na regularização fundiária para tentar resolver os problemas da Amazônia, saiu em defesa do ministro da Economia, Paulo Guedes. Em uma live, Guedes causou polêmica essa semana ao rebater críticas de países ricos à política ambiental brasileira e afirmar que eles destruíram suas florestas e agora querem interferir na forma como o Brasil cuida da Amazônia.

Mourão não acredita que a fala de Guedes vá afastar investidores do Brasil. Segundo o vice-presidente, a questão sempre gera bastante polêmica uma vez que os interesses vão muito além da proteção do meio ambiente. Ele voltou a afirmar que a questão da Amazônia é mais comercial do que ambiental.

O ministro do Meio Ambiente, durante o programa 3 em 1, da Jovem Pan, também saiu em defesa do que ele chamou de “franqueza de Paulo Guedes“. Ricardo Salles ainda alfinetou os países que fazem doações ao Brasil. Segundo ele, o Fundo Amazônia é mil vezes menor que o prometido e defendeu que o Brasil deve ter autonomia para utilizar os recursos. A tese do governo é de que boa parte das críticas que são feitas ao Brasil, têm como objetivo, na prática, tentar desmerecer nossa economia e produtos. Uma vez que, segundo Ricardo Salles, o Brasil tem problemas — mas são os países ricos, que queimam uma grande quantidade de combustível fóssil.

Ainda segundo Salles, o governo Bolsonaro está sendo apontado como culpado por todos os problemas ambientais. Problemas que, segundo ele, se arrastam há décadas. Ele critica os governos anteriores, que não destinaram recursos para geração de empregos sustentáveis na região, nem investiram na regularização fundiária. Salles ainda afirmou que as queimadas e o desmatamento são um problema recorrente na região e não tem piorado. Ele explicou que houve uma queda entre 2004 e 2005, mas os números subiram em 2012.

Segundo o vice presidente Mourão, o número de alertas de desmatamento em julho teria caído. o que ele classificou como uma inversão da tendência. Números divulgados pelo Inpe, no entanto, apontam crescimento de 34,5% nos últimos 12 meses. Em meio à discussão ambiental, o vice presidente defendeu também o debate sobre exploração de terras indígenas. Hamilton Mourão afirmou que o grande problema hoje no país é que os índios acabam vivendo como mendigos em terras extremamente ricas.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin