Gravações mostram suposto envolvimento entre facções paulistas e cariocas

  • Por Jovem Pan
  • 20/10/2017 07h31 - Atualizado em 20/10/2017 11h36
ReproduçãoDe acordo com o áudio, datado de setembro, a negociação teria como foco a guerra pelo controle do tráfico na favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio

A Polícia Civil de São Paulo divulgou, nesta quinta-feira (19), gravação telefônica entre criminosos paulistas e cariocas negociando armas e munição.

De acordo com o áudio, datado de setembro, a negociação teria como foco a guerra pelo controle do tráfico na favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio.

Na gravação, Fabiano Freitas, apontado como chefe de uma quadrilha paulista, conversa uma pessoa ainda não identificada.

Aldo Galiano Junior, delegado seccional de São Bernardo do Campo, ao repórter Tiago Muniz, explicou a ligação dos criminosos: “nós conseguimos desbaratar, estabelecer ligação, mais tarde termos apreendido documentos e áudios que estabelecem essa ligação com o Rio de Janeiro”.

O delegado investiga a possibilidade de negociação anterior ter conseguido êxito na compra e venda de armas de São Paulo para o Rio de Janeiro: “tivemos indícios de que poderia ter havido remessa de fuzis há 45 dias, inclusive tentamos interceptar com apoio da Polícia Rodoviária, na Rodovia Imigrantes, mas não foi possível”.

Todas essas revelações surgem após a deflagração da Operação Salazar, nesta quinta-feira, quando mais 300 policiais cumpriram 94 mandados de busca e apreensão e 28 de prisão temporária em diversas cidades de São Paulo.

A operação foi realizada em Praia Grande, São Bernardo do Campo, Pedreira, Socorro, Bragança Paulista, São Paulo, Cubatão, Santos, Mongaguá, Cananéia, Iguape e Ilha Comprida.

Binóculos, radiocomunicadores, facas e diferentes tipos de armas e munições foram apreendidas.

*Informações do repórter Fernando Martins