Importação de revólveres e pistolas bate recorde e tem alta de 94% em 2020

Em termos monetários, o valor ultrapassa US$ 29 milhões contra os US$ 21,3 milhões de 2019

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2021 06h37
ReproduçãoA origem do armamento, na maior parte dos casos, é a Áustria; país europeu vendeu 85,8 mil armas

A importação brasileira de revólveres e pistolas bateu recorde no ano passado, segundo dados do Ministério da Economia. Vieram para o Brasil 105,9 mil armas em 2020, contra 54,6 mil em 2019. Isso representa alta de 94%. De acordo com os números do governo, em termos monetários, o valor ultrapassa US$ 29 milhões contra os US$ 21,3 milhões de 2019. Todo o montante inclui as compras pelos governos, bem como por cidadãos comuns.

A origem do armamento, na maior parte dos casos, é a Áustria. O país europeu vendeu 85,8 mil armas. Na sequência vem os Estados Unidos, com 14,1 mil armas. O restante é dividido entre República Tcheca, Eslovênia e Israel. Até 2018, a importação de armas era proibida por haver produtos equivalentes fabricados no Brasil. O presidente Jair Bolsonaro, no entanto, derrubou essa proibição com um decreto em maio de 2019 — flexibilizando a compra de armas no país.

*Com informações do repórter Fernando Martins