Indústria paulista registra queda nas vendas em setembro

Diretor da Fiesp minimiza o recuo e enfatiza a estabilidade nas horas trabalhadas e o nível de utilização da capacidade instalada

  • Por Jovem Pan
  • 29/10/2021 06h33
Agência BrasilSegundo a FIESP, a indústria paulista teve queda de desempenho de 4,2% em setembro; o acumulado do ano chega a 12%

As vendas da Indústria paulista recuaram 4,2% em setembro no levantamento de conjuntura da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a quinta queda consecutiva de desempenho. No acumulado do ano, a redução chega a 12%. O diretor executivo de economia e estratégia da entidade, André Rebelo, minimiza o recuo, ressaltando a estabilidade nas horas trabalhadas e o nível de utilização da capacidade instalada. “As pessoas estão consumindo mais restaurantes e passeios e menos bens, então tem um pouco desse jogo por trás. E, por isso, o PIB está mais ou menos estável. A indústria segue, embora uma queda de vendas, mais para uma estabilidade, com o desempenho do PIB”, disse. A pandemia da Covid-19 afetou as cadeias produtivas globais, primeiro pela paralisação, depois por uma retomada mais forte do que o esperado, quando houve falta de insumos, aumento significativo no preço das matérias primas, e, no Brasil, a desvalorização do real perante ao dólar. Esses fatores ajudam a explicar o desempenho que poderia ter sido melhor em 2021. “A gente tem a crise energética também impondo custos para as famílias e roubando rendas das famílias e concorrendo com o produto industrial. A gente tem o impacto da escassez de energia para as empresas e a inflação corroendo o poder de compra dos consumidores. Esse é o cenário desafiador. E é por isso que o PIB está em estabilidade, senão ele estaria crescendo mais, como cresceu no ano passado”, afirmou Rebelo. O diretor ainda destaca o aumento das exportações e o processo de reabertura das atividades econômicas, em decorrência do avanço da vacinação, como impulsos para a indústria de transformação nesse final de ano.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos