Joe Biden anuncia fim de missão no Iraque, mas retirada de tropas segue incerta

Atualmente, cerca de 2.500 soldados estão no país para combater o terrorismo; apesar do anúncio, o presidente norte-americano não deixou claro se haverá diminuição do contingente

  • Por Jovem Pan
  • 27/07/2021 06h34 - Atualizado em 27/07/2021 10h28
EFE/EPA/TASOS KATOPODISGoverno americano também vai financiar uma missão da ONU para monitorar as eleições do país

O presidente Joe Biden anunciou, nesta segunda-feira, 26, que a operação de combate no Iraque será encerrada no fim do ano. Militares americanos vão continuar na região para ajudar as forças iraquianas na luta contra o Estado Islâmico. A medida foi anunciada durante uma visita do primeiro-ministro iraquiano, Mustafa al-Kadhimi, a Washington. Visto como simbólico, o anúncio ocorre no momento em que os militares americanos já estavam numa fase de transição da missão, se concentrando no treinamento das forças iraquianas de segurança. O anúncio formal ajuda o primeiro-ministro a reduzir a pressão interna. Atualmente, cerca de 2.500 soldados americanos estão no país para combater o terrorismo. Apesar do anúncio da mudança, o presidente norte-americano não deixou claro se haverá diminuição do contingente. Os Estados Unidos ainda prometeram fornecer ao Iraque 500 mil doses da vacina da Pfizer pelo Consórcio Covax Facility, da Organização Mundial da Saúde (OMS). Biden afirmou que os carregamentos devem chegar nas próximas semanas. O governo americano também vai financiar uma missão da ONU para monitorar as eleições do país, marcadas para outubro.

*Com informações da repórter Letícia Santini