Ligação entre terminais de Cumbica e linha da CPTM fica pronta em 24 meses, diz governo

Com a obra, os usuários não precisarão mais fazer baldeação e pegar ônibus para acessar o aeroporto

  • Por Jovem Pan
  • 09/09/2021 10h22
Divulgação/GRU AirportUsuário da CPTM não irá pagar tarifa para utilizar o futuro trem

O governo federal autorizou as obras para implantação de um trem no Aeroporto Internacional de São Paulo. O secretário executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, explica que o entrave jurídico com a concessionária GRU Airport foi vencido após um aditivo contratual para execução do projeto de R$ 272 milhões, com o desconto da outorga onerosa à União. “Depois de dois anos e meio a gente conseguiu encontrar uma solução junto com a concessionária. Se fosse um aeroporto da Infraero, teria outra modelagem. Teria o orçamento geral da União, teria uma licitação, uma coisa muito mais complexa. Levaria um tempo, mas teria uma simplicidade jurídica. Mas nos nós conseguimos fazer um desenho onde a gente consegue manter a operação dentro da concessionária, porque isso está muito ligado também à atualidade, ao nível de serviço que a concessionária presta ao passageiro. Na hora que entra na poligonal, a responsabilidade passa a ser da GRU Airport”, explica.

O projeto pretende acabar com o antigo problema no Aeroporto Internacional de São Paulo. Os usuários que vem do centro da Estação Luz e chegam até Cumbica descem na estação da CPTM. A partir daí, eles precisam fazer uma baldeação e utilizar de um ônibus para ter acesso aos terminais 1, 2 ou 3. Com a obra, os usuários vão descer no ponto e, no mesmo nível, um outro trem fará o acesso dos passageiros ao aeroporto Internacional de São Paulo, que fica em Guarulhos. A linha chave da CPTM chegou a Guarulhos em 2018. O Governo do Estado de São Paulo se propôs a levar ramal até o terminal 3, mas não houve acordo. O presidente da GRU Airport, Gustavo Figueiredo, acredita que o cronograma de 24 meses de obras poderá ser concluído antes do prazo original.

“Essa tecnologia da CPTM é uma tecnologia pra transporte de massa, a sua infraestrutura é muito grande. Então, quando ela entra a próxima do terminal 2, a CPTM  inviabilizaria o nosso estacionamento, a expansão do terminal 2, o edifício-garagem conectado ao terminal 2, é uma tecnologia que demanda muita área. O ‘people mover’ é uma tecnologia mais leve para transporte em torno de 2, 3 mil passageiros em cada sentido. Ele tem uma infraestrutura muito menor e faz curvas, então ele vai se adequar ao nosso plano de expansão aeroportuário”, explica Figueiredo. O usuário da CPTM não irá pagar tarifa para utilizar o futuro trem. O trajeto deverá durar seis minutos. O Aeroporto Internacional de São Paulo é o maior da América Latina e bateu recorde, em 2019, com 43 milhões de passageiros transportados.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos