Macron visita áreas afetadas por temporais na França e fala sobre segunda onda da Covid-19

Dois cemitérios foram atingidos pela enxurrada, que arrastou mais de 100 cadáveres pelas ruas

  • Por Jovem Pan
  • 08/10/2020 05h46 - Atualizado em 08/10/2020 08h47
EFEMais cedo, Macron anunciou a criação de um fundo para reconstruir as áreas destruídas pela enxurrada

O presidente da França, Emmanuel Macron, não descartou ampliar para outras partes as restrições de circulação impostas na região de Paris para conter a segunda onda de coronavírus. O francês disse, nesta quarta-feira, 07, que as regras podem ser aplicadas em locais que demonstrarem rápida disseminação da doença, principalmente entre idosos, e com aumento nas taxas de ocupações de leitos. A declaração foi dada quando o chefe de Estado ainda visitava os Alpes-Marítimos, região devastada pela tempestade Alex na última sexta-feira. Mais cedo, Macron anunciou a criação de um fundo para reconstruir as áreas destruídas pela enxurrada. Inicialmente, o Estado vai repassar 100 milhões de euros e deve haver ajuda adicional das autoridades locais e da União Europeia.

O decreto de desastres naturais publicado nesta quinta-feira, 08, abre caminho para que as famílias solicitem indenizações. A tempestade destruiu centenas de casas, pontes, estradas e deixou 15 mil residências no escuro na fronteira com a Itália. Até quarta, pelo menos três mil residências continuavam sem energia elétrica. Em alguns vilarejos, o acesso e abastecimento de água e alimentos só é possível com uso de helicópteros. Dois cemitérios foram atingidos pela enxurrada, que arrastou mais de 100 cadáveres pelas ruas. A França registrou pelo menos cinco mortos e a Itália, oito. As buscas continuam pelas dezenas de pessoas desaparecidas.

*Com informações da repórter Nanny Cox