Maia diz que promessas não cumpridas de Guedes ‘dariam livro com três volumes’

O presidente da Câmara reclamou que o governo tem dificuldade em articular a votação de pautas prioritárias

  • Por Jovem Pan
  • 10/12/2020 07h49
WAGNER PIRES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOO Ministério da Economia não quis comentar as declarações de Rodrigo Maia

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, ironizou nesta quarta-feira, 9, a equipe econômica do ministro Paulo Guedes. Ele reclamou que o governo tem dificuldade em articular a votação de pautas prioritárias para a agenda econômica. Segundo Maia, é possível escrever um livro só com as promessas que não foram cumpridas. “Acho que não tem agenda, não tem agenda para vacina, não tem agenda para os mais pobres, não tem agenda para recuperação econômica, para geração de empregos, mas tem muita promessa. Você consegue fazer um livro com três volumes das promessas que a equipe econômica fez e não colocou de pé nenhuma até hoje”, diz. Maia também voltou a cobrar empenho do governo para a aprovação da PEC Emergencial. O texto prevê medidas temporárias de corte de despesas e está parado no Senado Federal.

“Estou pensando em, para dar alerta ao governo, fazer um bolo para comemorar um ano da promessa do governo de votar a PEC Emergencial no Senado. Já completou um ano e a PEC não foi votada. Se ela era importante no ano passado, para o próximo ano ela é decisiva”, afirma. O Ministério da Economia não quis comentar as declarações de Rodrigo Maia. Também nesta quarta-feira, 9, o presidente da Comissão Mista de Reforma Tributária, senador Roberto Rocha, anunciou a prorrogação dos trabalhos até 31 de março do ano que vem. Na prática, a votação da proposta ficará para 2021.

*Com informações do repórter Afonso Marangoni