Mais de 47 mil brasileiros são detidos tentando atravessar ilegalmente a fronteira dos EUA em 2021

Somente o mês de agosto já supera o total de tentativas de todo o ano de 2020

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2021 10h27 - Atualizado em 29/09/2021 10h34
Reprodução/Wikipédia Reprodução/Wikipédia Fronteira dos Estados Unidos com o México

Neste ano, 47.484 brasileiros foram detidos tentando atravessar ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos (EUA), passando pela cidade de Deming, no Novo México. Somente em agosto, 9.231 pessoas foram flagradas. O número é maior do que o total de 2020. A especialista em imigração Hannah Krispin fala sobre a realidade das fronteiras. “Com certeza a situação nas fronteiras é uma calamidade. Não existe outra forma de descrever as milhares de pessoas que estão tentando entrar nos Estados Unidos. Grande parte dessas pessoas estão sendo ludibriadas, principalmente aquelas que saem do Brasil”, diz. A advogada Hannah afirma que que há diversos riscos envolvidos no processo ilegal. “Se você consegue cruzar a fronteira, não quer dizer que você vai ficar no país. Cruzar a fronteira é um ato ilegal, é uma ofensa prevista até no Código Criminal Federal, a pessoa pode até pegar tempo de cadeia se for condenada”, explica Hannah.

No último dia 16, agentes de fronteira, no Texas, encontraram brasileiros entre 49 imigrantes ilegais dentro da carroceria de um caminhão. No dia anterior, o corpo da brasileira Lenilda Oliveira dos Santos foi localizado por uma patrulha norte-americana perto da cidade de Deming, no Novo México. Ela tentava atravessar a fronteira ilegalmente com um grupo de amigos, mas foi abandonada no caminho e provavelmente morreu de sede e fome. Um outro caso que chama a atenção de um brasileiro nos Estados Unidos é o de Geraldo Furquim Neto, de 22 anos. O rapaz não dá notícias à família desde o dia 10 de setembro. Por mensagem, a polícia do estado da Virgínia disse à mãe dele, Karen Oliveira, que ele “teve um encontro com a polícia em Alexandria no dia 18 e se encontra saudável”, mas, usando da lei de privacidade, não deu mais informações. Após semanas de apelo nas redes sociais, Karen informou que vai em busca de seu filho em solo americano.

*Com informações do repórter Fernando Martins