Mário Frias, Eduardo Bolsonaro e irmãos Weintraub trocam acusações em redes sociais

Secretário especial da Cultura questionou as vezes em que o presidente Jair Bolsonaro foi chamado de frouxo, covarde ou vendido

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2022 09h43 - Atualizado em 21/01/2022 11h13
CLÁUDIO REIS/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO Secretário Mario Frias participa de evento pelo Dia do Forró Secretário especial da Cultura, Mario Frias

O deputado federal e filho do presidente da República Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) e o secretário especial da Cultura Mário Frias rebateram as críticas que os irmãos Weintraub têm nas últimas semanas ao governo federal, sobretudo sobre a relação do Palácio do Planalto com o centrão. A troca de farpas começou quando Frias curtiu uma publicação nas redes sociais em que sugeria a possibilidade de prisão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub. O irmão do ex-ministro, Arthur Weintraub, reagiu em um vídeo: “Que governo tem um secretário de Cultura que dá like e depois fala ‘dei like mesmo’, tratando de coisa séria para o momento da gente? Se você é de direita, é conservador, o que você acha de um secretário de Cultura que dá like e depois confirma e tripudia, falando ‘dei like mesmo’, para prisão ilegal de pessoas que não cometeram nenhum crime?”, questionou.

Após a postagem, Eduardo Bolsonaro e Mário Frias também se manifestaram. O secretário de Cultura perguntou porque os irmãos estavam chateados e questionou quantas vezes eles curtiram postagens que chamavam o presidente de frouxo, covarde ou vendido. Eduardo Bolsonaro respondeu à fala de Frias e corroborou a crítica. Segundo ele, não se trata de dividir ou unir a direita, e sim de ‘separar o joio do trigo’. Abraham Weintraub respondeu a Frias, dizendo que as curtidas foram por engano e afirmou sempre ter recebido o secretário quando ele ‘estava por baixo’.

*Com informações do repórter João Vitor Rocha