Máscaras voltam a ser obrigatórias em ambientes abertos no Distrito Federal

Equipamento deverá ser utilizado pelo público em eventos esportivos e shows; governo publicou um outro decreto proibindo pistas de danças e aglomeração em casas noturnas, bares e restaurantes

  • Por Jovem Pan
  • 20/01/2022 08h15
Marcello Casal Jr / Agência Brasil Homem com máscara e boné cobrindo o rosto do sol com a mão Taxa de transmissão da Covid-19 aqui no Distrito Federal está em 2,31, segundo maior número desde o início da pandemia

O uso de máscaras em locais abertos volta a ser obrigatório na capital do país. O governo do Distrito Federal decidiu que o equipamento de proteção deve ser utilizado em todos os espaços públicos, inclusive em ambientes ao ar livre, vias públicas, transporte público coletivo, estabelecimentos comerciais industriais e de serviço e nas áreas de uso comum dos condomínios residenciais e comerciais. Em novembro do ano passado, as máscaras deixaram de ser exigidas em locais abertos devido à diminuição do número de casos. Só que o cenário mudou. Mais de 80% dos leitos de UTI Covid da rede pública do DF estão ocupados.

O decreto também determina que em eventos esportivos, tanto em locais abertos como fechados, somente os atletas em jogo e arbitragem terão permissão para permanecer sem máscara durante o tempo da competição. E, para apresentações de música ao vivo, os integrantes da banda devem usar máscara, com exceção do vocalista e dos músicos que tocam instrumentos de sopro. O secretário da Casa Civil do DF, Gustavo Rocha, disse que a intenção é que essas medidas durem o menor tempo possível. “A ideia é que todas essas medidas permaneçam em vigor o menor prazo possível, que tenha vigência por um curto período. A ideia sempre é que a gente possa voltar à normalidade com a maior rapidez. E essas medidas que são tomadas, esses ajustes, essas adequações, servem justamente para nós termos meios de voltar mais rapidamente à normalidade”, afirmou Rocha.

O governo do DF também editou um outro decreto proibindo pistas de danças e aglomeração em casas noturnas, bares e restaurantes. Tudo para evitar disseminação da variante Ômicron. Hoje a taxa de transmissão da Covid-19 aqui na capital do país está em 2,31, o maior índice deste ano e o segundo maior número desde o começo da pandemia. O governador em exercício do DF, Paco Brito, disse que, apesar das medidas restritivas, o governo não tem a intenção de decretar um lockdown. “Nós queremos a parceria desses estabelecimentos e a compreensão dos empresários para que eles nos ajudem e, assim, ajudem a população e seus próprios negócios, porque não adianta pessoas infectadas, pessoas adoentadas e pessoas irem a óbito, porque são elas que giram os negócios. Então pedimos a compreensão senhores empresários: Nos ajudem a ajudar a população do Distrito Federal.” Só esse ano, o Governo do DF já adotou três medidas restritivas para conter o novo pico da doença.

*Com informações da repórter Iasmin Costa