Ministério da Saúde recomenda reforço da vacina da Janssen de 2 a 6 meses após a primeira aplicação

Pesquisa feita nos Estados Unidos mostra que uma segunda dose do imunizante fornece até 94% de proteção contra a Covid-19

  • Por Jovem Pan
  • 26/11/2021 13h25
EFE/EPA/ROB ENGELAAR/ArchivoCaixa com doses da vacina da Janssen contra a Covid-19

O Ministério da Saúde recomenda reforço da vacina da Janssen contra a Covid-19 de dois a seis meses após a primeira aplicação. A orientação foi divulgada em uma nota técnica e está baseada em estudos científicos que mostram aumento significativo na imunidade após a aplicação de uma segunda dose, especialmente com intervalo mais longo, de seis meses. Os níveis de anticorpos aumentam nove vezes com a dose de reforço feita com o mesmo imunizante. Uma pesquisa feita nos Estados Unidos mostrou que a dose de reforço aplicada com no mínimo dois meses de intervalo forneceu até 94% de proteção contra a Covid-19. Com a dose única, a Janssen é 75% eficaz. A nota do Ministério da Saúde cita ainda o aumento de casos entre não vacinados na Europa e baixa cobertura vacinal em países vizinhos, além de demonstrar preocupação com a tendência de aumento do contágio no centro-oeste, bem como surtos pontuais em alguns municípios. Segundo a pasta, são mais de 4 milhões de brasileiros que tomaram a dose única da Janssen e que devem voltar para um reforço. Há ainda uma remessa do laboratório para ser entregue em dezembro e outro lote já no Brasil aguardando aprovação de qualidade, os quantitativos são suficientes para contemplar todos. A nota técnica emitida pelo governo traz ainda orientações para quem tomou Janssen e que está grávida agora. Neste caso, o reforço deve ser feito com a vacina da Pfizer.

*Com informações da repórter Carolina Abelin