Não haverá lockdown em São Paulo, garante Marco Vinholi

No entanto, a atualização do Plano São Paulo acontece nesta sexta-feira, com possível aumento de restrições no estado

  • Por Jovem Pan
  • 07/01/2021 09h48 - Atualizado em 07/01/2021 10h01
Reprodução / FacebookSegundo o secretário, adoção do lockdown não é uma possibilidade para São Paulo

Mesmo com o constante aumento de casos, óbitos e internações pela Covid-19, o Estado de São Paulo não adotará lockdown, ou seja, bloqueio total de circulação, garante o secretário do Desenvolvimento Regional do Estado, Marco Vinholi. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan, nesta quinta-feira, 07, Vinholi afirmou que novas restrições podem ser adotadas, mas negou o bloqueio definitivo. A previsão é que a atualização do Plano São Paulo aconteça nesta sexta-feira, quando novos avanços, ou recuos, podem acontecer nas subdivisões do estado. “Não haverá lockdown em São Paulo. Os índices apontados hoje [quinta-feira] são de crescimento de 14% dos casos na média do estado, 18% de óbitos e 4% de internações. Algumas regiões têm índices mais altos, que podem ter aumento de restrições, mas não está na nossa pauta o lockdown. O que vamos fazer é aumentar as restrições, dialogando com os prefeitos e cobrando responsabilidade de todos”, cita, afirmando que nenhuma região apresenta ocupação dos leitos de unidade de terapia intensiva superior a 75%.

Segundo Vinholi, considerando os dados atualizados, as regiões que apresentam maior alta de internações nos últimos sete dias são: São José do Rio Preto, região do Vale do Paraíba, com destaque para São José dos Campos e Taubaté, e a região de Barretos, sendo as três localidades com uma “intensidade acima de 40 internações a cada cem mil habitantes”. O governo estadual se mobiliza, em conjunto com os 645 municípios, 404 deles com novos gestores em 2021, para o enfrentamento da pandemia e a vacinação das pessoas acima de 60 anos, profissionais da saúde, quilombolas e demais pertencentes aos grupos prioritários da imunização contra a Covid-19.

De acordo com o secretário, a distribuição de vacinas está garantida para a população de todo o Estado de São Paulo. No entanto, segundo Vinholi, o governo avalia, para futuras parcerias, priorizar alguns municípios. “Vamos priorizar outras parcerias para municípios que tenham responsabilidade, que tenham o enfrentamento [da pandemia] e o respeito à vida como prioridade. Essa visão que nós temos. Estamos enfrentando uma pandemia em que é responsabilidade de todos, de outros poderes, da sociedade de modo geral. A responsabilidade é compartilhada e vamos seguir dialogando com os prefeitos”, finaliza. Nesta quinta-feira acontece a coletiva do Estado de São Paulo sobre a CoronaVac, vacina contra a Covid-19 produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica Sinovac. A expectativa é que sejam apresentados dados sobre a eficácia do imunizante e informações sobre registro na Anvisa para uso emergencial.