Novo suspende candidatura de Sabará à Prefeitura de São Paulo

Em nota, Filipe Sabará disse que está sendo perseguido dentro do partido por ser uma pessoa de direita

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2020 05h56 - Atualizado em 24/09/2020 08h36
ALOISIO MAURICIO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOA sigla também ordenou a suspensão temporária de todas as ações de campanha até que o assunto seja efetivamente julgado

A Comissão de Ética do Partido Novo determinou a suspensão em caráter liminar da candidatura de Filipe Sabará à prefeitura de São Paulo. A sigla também ordenou a suspensão temporária de todas as ações de campanha até que o assunto seja efetivamente julgado pela comissão. A decisão veio do diretório nacional do partido após ao menos cinco filiados entrarem com pedidos de impugnação da candidatura dele. Sabará terá um prazo, ainda não definido, para se defender.

O comunicado interno do diretório aos membros do partido não explicita os motivos para a suspensão do candidato. Mas a Jovem Pan apurou com filiados que Sabará vem sendo frequentemente criticado dentro do partido, principalmente pelas declarações simpáticas ao presidente Jair Bolsonaro. A gota d’água, que rendeu críticas até do fundador do Novo, João Amoêdo, teria sido uma fala de Sabará em entrevista ao Pânico, dizendo que Paulo Maluf foi o melhor prefeito de São Paulo.

Em nota, Filipe Sabará disse que está sendo perseguido por João Amoedo, por infiltrados do Movimento Brasil Livre e por uma ala esquerdista minoritária do partido, por ser uma pessoa de direita. Segundo Sabará, “as críticas são infundadas, produzidas por aliados de João Amoedo que são de uma ala minoritária de esquerda do NOVO”. Ele disse que está entrando com todos os meios jurídicos e medidas judiciais cabíveis, tanto para reverter a situação quanto para processar os responsáveis.

*Com informações do repórter Leonardo Martins