Novo tratamento é esperança para quem sofre com osteoporose

Com previsão para ser lançado no Brasil em três meses, Evanity foi aprovado pela Anvisa e é considerado como ‘divisor de águas’ no tratamento da doença

  • Por Jovem Pan
  • 30/01/2021 11h48
Pixabay/Creative Commons Remédio para osteoporose deve ser disponibilizado no Brasil em três meses

A professora Arlete Monteiro tem 75 anos e descobriu que tinha osteoporose quando entrou na menopausa, aos quarenta. No ano passado, ela sofreu uma queda e fraturou um osso perto do ombro. “O que me levou a ficar 75 dias dormindo no sofá, sentada, porque eu não aguentava ficar deitada. Foi um período muito difícil”, recorda. Pacientes que têm alto risco de fratura e que não se adaptaram a medicamentos anteriores agora têm um novo tratamento à disposição. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o Evenity, primeiro e único construtor ósseo que tem um duplo efeito: ao mesmo tempo em que evita a perda da densidade óssea, ele regenera as partes que já estão comprometidas pela doença.

O médico Ben-hur Albergaria, do Centro de Diagnóstico e Pesquisa do Espírito Santo, participou dos estudos do medicamento no Brasil. Ele classifica o Evanity como inovador e um divisor de águas no tratamento da osteoporose. “A osteoporose faz retirada de cálcio, reabsorção óssea e diminui formação. As drogas que tínhamos anteriormente, atuavam isoladamente em um ou outro fator. Já ajudavam dramaticamente. Porém, para aqueles pacientes muito graves, às vezes só isso não era suficiente”, afirma. O médico Cristiano Menezes, da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, afirma que os estudos mostram uma superioridade desse medicamento na comparação com os demais. “Esse medicamento é mais um no arsenal terapêutico dos médicos para, junto às medidas de prevenção e junto aos suplementos, que são o alimento para o osso, eles podem realmente reduzir a incidência da osteoporose e das fraturas, que são consequência da doença”, explica. O Evenity só estará disponível nas farmácias daqui a três meses e precisará de um pedido médico para ser comprado. O tratamento é feito em pelo menos um ciclo de doze meses, com uma injeção mensal.

*Com informações da repórter Nicole Fusco