Ocupação de leitos para Covid-19 volta a crescer no Rio de Janeiro

Cidade e Estado, oficialmente, se transformaram no epicentro da variante Delta em nível nacional

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2021 06h41 - Atualizado em 19/08/2021 10h31
Sandro Pereira/Estadão ConteúdoGanha força uma discussão sobre os próximos passos da campanha de vacinação

A taxa de ocupação dos leitos na rede pública e privada do Rio de Janeiro está subindo, acompanhando o boom de casos de Covid-19 por conta da variante Delta. Cidade e Estado, oficialmente, se transformaram nesta semana no epicentro da cepa de origem indiana em nível nacional. Na rede municipal de Saúde, já são quase 1,1 mil pessoas internadas. Há uma semana, essa taxa era menor, com pouco mais de 900. Cerca de 91% dos leitos de UTI da capital fluminense voltados para Covid-19 estão ocupados. Na rede estadual, a taxa está acima de 70% — assim como na rede privada.

A tendência é de crescimento. As redes de saúde fizeram até uma espécie de perfil das pessoas internadas no Rio de Janeiro. Em sua maioria absoluta, pessoas que não tomaram sequer uma dose da vacina contra a Covid-19. A parcela pequena das pessoas que tomaram a primeira dose inclui, além de idosos, pessoas com comorbidades. Por isso, ganha força uma discussão sobre os próximos passos da campanha de vacinação. Essa discussão gira em torno, primeiro, da aplicação de um reforço da vacina em idosos, e o encurtamento do intervalo das vacinas entre primeira e segunda dose. Em mais de cinco municípios já não há leitos de UTI disponíveis para pacientes com Covid-19.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga