Paes nega conversa com Doria para compra de CoronaVac

Após anunciar o Plano Estadual de Imunização, governador de SP destacou interesse da capital vizinha

  • Por Jovem Pan
  • 08/12/2020 07h21
Instituto Butantan/DivulgaçãoFontes da Jovem Pan revelaram que Paes e Doria andaram conversando nas ultimas horas e falaram sobre vacina

O prefeito eleito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, negou, nesta segunda-feira, 7, que tenha pedido doses da CoronaVac ao governado de São Paulo, João Doria, e acrescentou que vai aguardar a definição por parte do Ministério da Saúde de uma politica nacional de imunização contra a Covid-19. Após anunciar nesta segunda o plano de vacinação com a vacina de origem chinesa que esta sendo produzida em parceira com o Instituto Butantan em São Paulo, com inicio previsto para 25 de janeiro, João Doria afirmou que Eduardo Paes e Rafael Greca, de Curitiba, já teriam solicitado doses do imunizante.

Paes, no entanto, negou, em nota oficial, que tenha feito qualquer tipo de solicitação. Fontes da Jovem Pan revelaram que Paes e Doria andaram conversando nas ultimas horas e falaram sobre vacina — mas o tema principal foi a nomeação de um tucano para assumir a Secretaria de Turismo a partir de 2021. Na nota, Paes disse que a Prefeitura do Rio de Janeiro, na gestão dele, sempre seguiu as regras definidas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) e assim será em relação à vacina de combate ao coronavírus.

O comunicado diz ainda que “a partir de 1º de janeiro, estaremos juntos ao Ministério da Saúde acompanhando todo o planejamento e organizando a rede municipal para garantir a vacinação”. O prefeito eleito disse, sem citar o nome do governador de São Paulo, João Doria, que neste momento é preciso evitar ruídos de comunicação em um tema sensível e importante como a imunização da população contra o coronavirus. O governador em exercício do Estado, Cláudio Castro, por sua vez, tem também reafirmado com frequência que o Rio de Janeiro vai comprar o imunizante que primeiro for validado e reconhecido pela Anvisa.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga