Pesquisa aponta diferença de sintomas da Covid-19 entre homens e mulheres

Estudo aponta que pessoas do gênero masculino sofrem mais com falta de ar, cansaço e febre, enquanto as do gênero feminino são impactadas por dores abdominais e perda do paladar

  • Por Jovem Pan
  • 05/08/2021 08h04 - Atualizado em 05/08/2021 09h37
EFE/ Luis Angel Gonzales Taipe/ArchivoEstudo realizado na Inglaterra e publicado na revista The Lancet que acompanhou 38 mil pessoas infectadas e não infectados pelo vírus

Os homens contaminados pelo coronavírus sofrem mais com falta de ar, cansaço e febre, enquanto a maior parte das mulheres relata dor abdominal e perda de paladar. Esse é um dos resultados de um estudo realizado na Inglaterra e publicado na revista The Lancet que acompanhou 38 mil pessoas infectadas e não infectados pelo vírus.  O representante comercial Vinícius Alves conta que teve a Covid-19 e precisou ser internado em estado grave. “Quando completou seis dias estava muito mal, saturação estava em 78%. Saí de casa e parecia um senhor de 70 anos, não conseguia andar ou respirar. E a sensação de morte era terrível”, relata. A esposa dele também ficou doente, mas teve sintomas mais leves. “Tive falta do paladar, não sentia gosto ou cheiro das coisas. E durante dois dias tive um pouco de febre e um calafrio semana e de duas a três vezes ao dia eu tinha que entrar no banho para amenizar o calafrio”, relembra.

O infectologista Júlio Croda afirma que o estudo britânico sobre as diferenças de sintomas entre homens e mulheres pode ajudar no enfrentamento à pandemia, principalmente em cenários onde há ausência de testes clínicos. “É possível já orientar o isolamento, orientar a testagem, principalmente em um momento importante da pandemia onde se falta teste diagnóstico, onde existe dificuldade de testar. Uma alternativa interessante é testar as pessoas com maior probabilidade de ter a doença e recomendar o isolamento precoce”, aponta. O médico, no entanto, alerta que a pesquisa indica as diferenças, mas cada corpo reage de uma maneira à infecção pelo coronavírus.

*Com informações do repórter Victor Moraes