PF pede abertura de inquérito para investigar suspeita de pagamentos a Dias Toffoli

Segundo o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, ministro do STF teria recebido R$ 4 milhões para favorecer dois prefeitos do Estado em processos no TSE

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2021 06h50 - Atualizado em 12/05/2021 10h31
Caroline Antunes/Agência BrasilPor meio de sua assessoria, o ministro Dias Toffoli afirmou não ter conhecimento dos fatos mencionados

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Dias Foffoli, pode virar alvo de investigação sobre supostos repasses ilegais que teria recebido. Na terça-feira, 11, a Polícia Federal encaminhou à Corte um pedido para abertura de inquérito, tendo como base o acordo de colaboração premiada do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral. Segundo Cabral, Toffoli teria recebido R$ 4 milhões para favorecer dois prefeitos do Estado em processos no Tribunal Superior Eleitoral. O ex-governador disse que os pagamentos teriam sido feitos em 2014 e 2015 por Hudson Braga, ex-secretário de Obras do Rio de Janeiro. A delação aponta que os repasses teriam envolvido o escritório da mulher de Toffoli, a advogada Roberta Rangel. Tal situação se enquadraria como crime de corrupção passiva. Por meio de sua assessoria, o ministro Dias Toffoli afirmou não ter conhecimento dos fatos mencionados e negou ter recebido valores ilegais. Também disse que não atuou para favorecer qualquer pessoa no exercício de seu cargo no judiciário brasileiro.

*Com informações do repórter Fernando Martins