Prefeituras no litoral paulista pedem bloqueio sanitário nas orlas

A ideia é seja feita medição de temperatura dos visitantes na entrada das cidades

  • Por Jovem Pan
  • 21/12/2020 05h32 - Atualizado em 21/12/2020 07h23
MARCO SILVA/WPP/ESTADÃO CONTEÚDOTambém está previsto que, no dia 31 de dezembro, a Polícia Militar atue nas orlas das cidades litorâneas, para inibir a chegada de turistas

Com a temperatura acima dos 35ºC, turistas e moradores da Baixada Santista lotaram as praias nesse final de semana, o último antes das festas de final de ano. Segundo a Ecovias, concessionária que administra o sistema Anchieta-Imigrantes, até às 18h de domingo, 20, haviam descido mais de 180 mil carros para o litoral. Nas praias de Santos, muitas pessoas foram flagradas sem máscara e próximas umas das outras. Preocupados com a situação, prefeitos do litoral paulista já solicitaram ao governo estadual ajuda logística para impedir aglomerações e evitar que turistas façam o “bate e volta” na virada do ano.

A ideia proposta pelas prefeituras é de que tenha uma barreira sanitária na região. Será feita medição de temperatura dos visitantes na entrada das cidades. Mas, comprovante de residência na região ou teste de Covid-19 com resultado negativo não serão exigidos. Também está previsto na proposta que, no dia 31 de dezembro, a Polícia Militar atue nas orlas das cidades litorâneas, para inibir a chegada de turistas. O Estado deve debater o assunto nesta segunda-feira, 21.

Para o infectologista, Dr Marcelo Otsuka, que trabalha na linha de frente no tratamento para combate à Covid-19, é preciso tomar muito cuidado nesse momento onde há aumento de casos de infecção pela doença. “Nós temos que entender que nós estamos novamente num momento crítico da infecção, da epidemia pelo coronavírus. Praias, todos os mecanismos que acabam levando a gente a juntar muitas pessoas, aglomerações, bares, as festas, etc, tudo isso tem que ser evitado”, explica. Até o domingo, 20, o Estado de São Paulo registrava 45 mil óbitos pela Covid-19. E o total de casos atingiu utrapassou a marca de 1 milhão de registros.

*Com informações da repórter Elisângela Almeida