Primeiro-ministro espanhol critica decisão do Reino Unido e fala em ‘erro de avaliação epidemiológica’

Sánchez lembrou que diversas partes da Espanha têm hoje taxas de contaminação inferiores às britânicas

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 28/07/2020 08h05 - Atualizado em 28/07/2020 09h37
EFE Apesar das críticas, o governo de Madrid se disse amigo do governo de Londres e está tentando reverter a decisão

O governo da Espanha não gostou de ver o país fora da lista de destinos que o Reino Unido considera seguros para viagens neste verão. O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, criticou a decisão, que para ele é um erro de avaliação epidemiológica. Sánchez lembrou que diversas partes da Espanha têm hoje taxas de contaminação inferiores às britânicas. Portanto, para muita gente que mora no Reino Unido seria inclusive mais seguro viajar para o território espanhol que ficar em casa.

No final de semana o governo de Londres decidiu retirar a Espanha da lista de países isentos de quarentena. Isso significa que quem chega no Reino Unido vindo do território espanhol precisa ficar 14 dias isolado — sem poder sair para praticamente nada. A decisão vale também para as ilhas espanholas, depois de uma revisão feita ontem em Londres. A notícia foi um balde de água fria para a economia espanhola, que tenta se levantar depois de meses em quarentena.

Um em cada cinco turistas que visitam o país agora na alta temporada é britânico. Por isso a decisão tem um impacto muito forte para os espanhóis, que além do mais ainda precisam bastante do turismo para manter a economia girando. Apesar das críticas, o governo de Madrid se disse amigo do governo de Londres e está tentando reverter a decisão. O jornal inglês Daily Telegraph noticia que o gabinete conservador já estuda inclusive rever a política de quarentena completamente. Ao invés de determinar 14 dias de isolamento para quem chega de áreas de alto risco, como Brasil e Estados Unidos, por exemplo, a regra pode ser flexibilizada para 10 dias.

No 8º dia de chegada, o viajante poderá fazer o teste do Covid-19 e se o resultado for negativo ele estará liberado a partir do 10º dia no país. A mudança ainda não foi confirmada, mas poderá ser um pequeno estímulo para alguma retomada do turismo. O fato é que o coronavírus continua bastante ativo ao redor da Europa e a Espanha registrou um aumento significativo de casos. As regiões da Catalunha e de Aragão são os principais focos do país no momento. A taxa de infecção na Espanha hoje é de 35,1 casos por 100.000 pessoas, enquanto o Reino Unido está em 14,7 — de acordo com os últimos dados do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças.