PT acionará Conselho de Ética da Alesp contra deputado que chamou arcebispo e Papa de ‘vagabundos’

Frederico D’Avila (PSL) fez ofensas diretas aos membros da Igreja Católica após declaração de Dom Orlando Brandes sobre ‘pátria armada’

  • Por Jovem Pan
  • 18/10/2021 07h05 - Atualizado em 18/10/2021 11h52
Juliana Leal/AlespPT acionará Conselho de Ética contra deputado Frederico D'ávila

O Partido dos Trabalhadores acionará nesta segunda-feira, 18, o Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) contra o deputado Frederico D’Avila (PSL), que atacou o arcebispo de Aparecida e o Papa Francisco, chamando Dom Orlando Brandes, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e o chefe da igreja Católica de “vagabundos” após fala de Brandes sobre “pátria amada não ser pátria armada” durante missa no dia de Nossa Senhora Aparecida. “Pátria armada é a pátria que não se submete a esta gentalha, seu safado. E a sua CNBB propagadora da teologia da libertação. Você se esconde atrás da sua batina para fazer proselitismo político, para converter as pessoas de bem na sua ideologia. A última coisa que vocês tomam conta é da alma e da espiritualidade das pessoas, seu vagabundo. Safado. Que se submete a este Papa vagabundo também”, disse em Plenário.

O deputado do PT, Emídio de Souza, será responsável pelo acionamento no Conselho de Ética. “Por quebra de decoro parlamentar, vou propor que o seu discurso seja excluído dos anais da Assembleia Legislativa de São Paulo e da TV Assembleia e vou propor que ele se retrate publicamente dos horrores que falou na tribuna da Assembleia. Este deputado, que é um deputado ligado aos latifundiários do Estado de São Paulo, não é a primeira vez que ele faz discurso de ódio na Assembleia e isto não pode ficar impune”, declarou o petista. O presidente Jair Bolsonaro participou de uma missa em Aparecida no dia 12 de outubro, mas não estava na celebração em que o arcebispo fez a colocação sobre a pátria armada. A CNBB enviou uma carta ao presidente da Alesp, Carlão Pignatari (PSDB) pedindo punição ao deputado Frederico D’ávila. “Defensora e comprometida com o estado democrático de direito, a CNBB espera da casa legislativa, confiando na sua credibilidade, medidas internas eficazes, legais e regimentais para que este ultrajante desrespeito seja reparado em proporção à sua gravidade, sinal de compromisso inarredável com a construção de uma sociedade democrática e civilizada”, aponta documento do órgão.

*Com informações do repórter Marcelo Mattos