Reabertura sem restrições a partir desta terça anima comerciantes de São Paulo

Além das lojas, bares e restaurantes, eventos sociais, museus e feiras corporativas também serão liberados, mas com público limitado; jogos com torcida, shows e baladas ainda não estão permitidos

  • Por Jovem Pan
  • 16/08/2021 08h51 - Atualizado em 16/08/2021 12h08
RENATO S. CERQUEIRA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOMesmo com a melhor dos números da pandemia e da vacinação, a reabertura preocupa especialistas

A reabertura sem restrições a partir desta terça-feira, 17, em São Paulo, é motivo de animação para os empresários do comércio e do setor de serviços. O presidente da Associação de Bares e Restaurantes de São Paulo comemora a volta ao “quase normal” após tantos meses de prejuízo, com milhares de estabelecimentos fechados e empregos perdidos. Percival Maricato reconhece, no entanto, que há um longo trabalho ainda pela frente. “Temos outra variável, que é a perda da renda e dos empregos. É outra coisa que gera um pouco de receio. Com tudo isso, vamos ter que aprender a lidar, vamos superar essa fase e talvez no ano que vem os recursos se restabeleçam”, afirma.  A diretora da Associação Brasileira de Salões de Beleza, Rosângela Barchetta, reitera a importância dos protocolos sanitários, mas descarta a necessidade de vacinação obrigatória para os clientes. “Não acho que salão de beleza seja um lugar necessário para exigir a imunização. A cliente não tira a máscara para fazer o cabelo e quando é maquiagem, o maquiador toma todo cuidado, usa face shield, outra máscara. Então, acredito que não há essa necessidade.”

A partir desta terça-feira, as flexibilizações vão além do comércio e do serviço: eventos sociais, museus e feiras corporativas também serão liberadas, mas com público limitado. No entanto, eventos com o público em pé, jogos com torcida, shows e baladas ainda não estão permitidos. A expectativa do governo é de que essas atividades comecem a ser liberadas em novembro, quando São Paulo deve atingir cerca de 90% da população adulta vacinada. Mesmo com a melhora dos números da pandemia e da vacinação, a reabertura preocupa especialistas. O infectologista Marcos Boulos diz que a situação ainda é de cautela. “Nós temos uma situação melhorando, mas ainda com alerta ligado, porque não sabemos como serão as próximas semanas”, pontua. A secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, diz que a prioridade é ampliar a vacinação e afirma que o Estado não vai se precipitar em dispensar o uso da máscara. Segundo ela, o governo está preparado para um eventual aumento de casos e pode regredir na flexibilização se for necessário. “Estamos preparados para lidar com qualquer tipo de emergência. Agora, o foco do governo é evitar que essas emergências ocorram”, finaliza.

*Com informações da repórter Camila Yunes