Reedição do programa de corte de jornada e salários está em ‘análise política’, diz Bruno Bianco

Em 2020, foram firmados 20 milhões de acordos pelo projeto; para este ano, a proposta do governo é focar em ações para área da saúde e para geração de empregos

  • Por Jovem Pan
  • 29/01/2021 09h46 - Atualizado em 29/01/2021 09h47
Wallace Martins/Estadão ConteúdoO secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco confirma possível reedição do programa

O benefício emergencial de Preservação do Emprego e da Renda pode retornar após análise política. O secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco confirma possível reedição do programa, que suspende contratos de trabalho ou reduz jornadas e salários. “Demanda uma análise das circunstâncias e também demanda uma análise política que nós estamos fazendo junto com o nosso ministro e também junto ao presidente Jair Bolsonaro. O presidente falou sobre isso ontem rapidamente, então está em análise e tão logo tenhamos alguma coisa concreta, certamente, faremos esse anúncio a vocês.”

Em 2020, foram firmados 20 milhões de acordos no programa. O ministro da Economia, Paulo Guedes, coloca a saúde no topo das prioridades. “A prioridade para o Brasil agora é saúde, emprego e renda. Nós esperamos que assim que o Congresso retorne, resolvido o problema das novas lideranças para a presidência da Câmara e Senado,  governo possa avançar com as reformas em uma série de propostas que foram aprovadas pelo Senado, estão paradas na Câmara, uma série de propostas aprovadas pela Câmara e estão transitando pelo Senado. Voltando o Congresso temos condição de atacar saúde, emprego e renda, que são as nossas prioridades para o ano de 2021.”

 

*Com informações do repórter Marcelo Mattos