Relator do projeto de desoneração da folha na Câmara reclama de demora para votação

Segundo o delegado Marcelo Freitas, se o texto não for aprovado logo mais de 3 milhões de brasileiros poderão perder o emprego em 2022

  • Por Jovem Pan
  • 21/10/2021 08h53 - Atualizado em 21/10/2021 13h02
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência BrasilDeputado delegado Marcelo Freitas, relator da proposta da desoneração, espera ampliar o benefício para mais setores da economia

A demora na discussão da proposta que estende a desoneração da folha de pagamentos a mais setores da economia tem preocupado deputados. O relator do projeto, que prolonga o benefício até 2026, o deputado delegado Marcelo Freitas (PSL-DF) disse que, se o texto não for aprovado, mais de 3 milhões de brasileiros poderão perder o emprego no ano de 2022. “O que compreendemos como relevante é que essa Casa possa incluir mais setores e, ao lado dos programas sociais, encontrar mecanismo para, de fato, gerar emprego e renda”, afirmou. Em vigor desde 2011, a desoneração permite às empresas substituir a contribuição previdenciária de 20% sobre os salários dos funcionários por uma alíquota sobre a receita bruta, que varia de 1% a 4,5%. Atualmente, 17 setores são beneficiados pela medida, como a construção civil, a tecnologia da informação, o transporte coletivo e a comunicação. O governo recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), tentando reverter a iniciativa, prorrogada até 31 de dezembro por conta da pandemia. O relator do caso, o ministro Ricardo Lewandowski já votou pela manutenção da desoneração. A decisão agora cabe ao plenário da Câmara dos Deputados.

*Com informações do repórter Victor Moraes