Réveillon em Copacabana tem registro de arrastões e esfaqueamentos

Pelo menos dois jovens foram atendidos com ferimentos de armas brancas em postos montados pela Secretaria de Saúde da capital

  • Por Jovem Pan
  • 01/01/2022 10h44 - Atualizado em 01/01/2022 10h45
André Dutra/Prefeitura do Rio de Janeiro fogos em copacabana Réveillon de Copacabana foi marcado por movimentação intensa

Mesmo com o cancelamento de shows por parte da prefeitura do Rio de Janeiro por causa da pandemia da Covid-19, a queima de fogos em Copacabana na madrugada deste sábado, 1º, foi marcada por grande movimento de pessoas e casos de violência urbana, com arrastões e pessoas esfaqueadas. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde da capital fluminense, 111 pessoas foram atendidas entre as 17h30 do dia 31 e 3h30 do dia 1º em postos médicos montados pela prefeitura. Desses atendimentos, 11 casos foram considerados graves e precisaram de encaminhamento para hospitais, entre eles estavam dois homens jovens que tinham sido esfaqueados. Segundo a polícia, pelo menos dois homens foram presos em Copacabana por porte de arma e roubo.