São Paulo registra o menor número de vítimas de trânsito desde 2015

Segundo dados do Infosiga, houve redução de 22% no índice em cinco anos

  • Por Jovem Pan
  • 20/01/2021 11h12
SUAMY BEYDOUN/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOForam 5.023 mortes causadas por acidentes em 2020, índice 7,6% menor na comparação com 2019

O Estado de São Paulo registrou o menor número de mortes no trânsito desde 2015. Segundo estatatísticas do Infosiga, programa do governo estadual, houve redução de 22% nos índices em cinco anos. De acordo com o levantamento, houve 5.023 mortes causadas por acidentes no ano passado, índice 7,6% menor na comparação com 2019 quando foram apontadas 5.439 e 22,3% abaixo do registrado há cinco anos. A pesquisa detectou que os pedestres formam o grupo com maior redução de óbitos — foram 1.108 mortes em 2020, representando queda de 20,6% na comparação com o ano anterior que contabilizou 1.395 vítimas e de 36,3% em relação a 2015 que indicou resultado de 1.740 falecimentos.

A tendência de queda na violência do trânsito vai na contramão do que previa a gestão petista Fernando Haddad que chegou a determinar a diminuição da velocidade nas principais vias da capital paulista buscando reduzir os acidentes e mortes. Segundo o Detran a baixa se deve aos investimentos em obras, educação e fiscalização que geraram um decréscimo contínuo nos índices. Os motociclistas lideram as estatísticas de fatalidade e os ocupantes de carros estão em segundo lugar. Das 16 regiões administrativas do estado de São Paulo, 11 apresentaram redução nos índices na comparação com 2019. Os destaques positivos foram as regiões de Presidente Prudente com diminuição de 30% e de São José do Rio Preto com declínio de 22%. Entre janeiro e dezembro de 2020, foram registrados 170.292 acidentes com vítimas, redução de 9,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Vias municipais e rodovias notabilizaram a maioria das ocorrências. Sobre o perfil, o levantamento apontou que, em 2020, jovens com idade entre 18 e 34 anos corresponderam a 36% das vítimas de trânsito, sendo 83% homens. Os condutores dos veículos totalizaram 61%. Já 51% das vítimas faleceram nos hospitais e em 78% dos registros os óbitos ocorreram no mesmo dia do acidente. O período noturno é o de maior número de desastres com  57% dos casos seguido pelos finais de semana com 44%. Os principais tipos de acidentes são colisão entre veículos figurando com 38%, os atropelamentos com 23% e choque contra objetos fixos com 19%.

*Com informações do repórter Daniel Lian