Seis em cada dez azeites são fraudados, aponta Ministério da Agricultura

  • Por Jovem Pan
  • 02/05/2018 07h53 - Atualizado em 02/05/2018 07h54
Pixabay Imagem de um pote de vidro com azeite de oliva e três azeitonas ao lado Uma das principais irregularidades é a mistura de azeite de oliva com outros óleos

O Ministério da Agricultura reprovou 59,7% das amostras de azeite de oliva fiscalizadas durante a Operação Isis.

A investida, batizada em homenagem a deusa Egípcia que teria criado o azeite, investigou 107 marcas do produto comercializadas por 65 empresas diferentes.

A coordenadora-geral de Qualidade Vegetal do Mapa, Fátima Parizzi, explica que a principal irregularidade observada é a mistura do azeite com outros óleos.

“Uma das principais irregularidades é a mistura de azeite de oliva com outros óleos e a tentativa das empresas de iludir o consumidor com o rótulo”, disse Fátima, em entrevista a Nanny Cox.

Uma unidade de azeite de oliva com 500 mL não pode custar menos que R$ 10 reais, porque o produto é uma commoditie e é cotado em dólar.

Outro fator importante que o consumidor deve ficar atento é o rótulo: não pode conter nenhum aditivo, aroma ou ingrediente que não seja o azeite de oliva puro.

Cerca de 700 mil litros de produtos irregularidades foram retirados do mercado pela Operação Isis.

As empresas que cometeram as fraudes são foram autuadas e multadas em R$ 5 mil reais mais uma taxa de 400% sobre o valor da mercadoria fiscalizada.

A lista completa com os rótulos reprovados – e também os aprovados – está no site do Ministério da Agricultura: www.agricultura.gov.br.