Sob restrições, chegada do novo ano pelo mundo tem celebrações esvaziadas

De fogos de artifício ecofriendly a cartaz comemorando o fim de 2020, passando por show online da brasileira Anitta em Nova York, virada de ano foi comedida no mundo todo

  • Por Jovem Pan
  • 01/01/2021 08h44
EFE/EPA/DEAN LEWINS AUSTRALIA AND NEW ZEALAND OUTAustrália foi um dos primeiros lugares a comemorar o ano novo

Com máscaras e sob policiamento, diversos países do mundo deram adeus ao ano de 2020. As primeiras a receberem o novo ano foram as ilhas de Kiribati e Samoa e, logo depois, os Neozelandeses comemoraram a passagem. Por lá, os moradores festejaram com poucas restrições devido ao controle da pandemia. A Nova Zelândia, referência no combate, contabiliza apenas 25 mortes pela Covid-19, sendo a última registrada no mês de setembro. Em Auckland, maior cidade do país, a contagem regressiva e a queima de fogos foi realizada na Sky Tower, com shows e luzes na ponte do Porto. Depois foi a vez da Austrália dar as boas-vindas a 2021.

Em Sydney, o show da virada foi transmitido pela televisão e poucas pessoas compareceram ao porto para assistir. O norte da cidade enfrenta um novo surto de coronavírus, o que fez o governo desistir de receber 5 mil profissionais que trabalham na linha de frente para a queima de fogos. Na Coreia do Norte, multidões se aglomeraram com máscaras na praça principal de Pyongyang para acompanhar atrações musicais e fogos de artifício. Na província chinesa de Wuhan, epicentro da pandemia de coronavírus, centenas de pessoas usando máscaras soltaram balões quando o relógio anunciou a virada do ano. Na Tailândia, a população mediu a temperatura antes de participar das festas de Ano Novo. Ao todo, 20 mil fogos de artifício ecofriendly feitos a base de arroz iluminaram o céu da capital Bangkok.

Em uma mensagem de Ano Novo, o presidente da Rússia, Vladmir Putin, pediu unidade da população em meio a segunda onda de coronavírus no país. Em Moscou, o espetáculo pirotécnico atraiu moradores para a região do Kremlin. Em Edimburgo, capital escocesa, a queima de fogos deu lugar a um show de luzes protagonizado por drones. O maior arranha-céu do mundo, localizado em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, foi iluminado por fogos de artifício para marcar a passagem do ano. A Alemanha baniu a venda de fogos de artifício, mas a medida não impediu que várias famílias celebrassem a chegada de 2021. Na mensagem do fim do último ano como premiê, Angela Merkel disse que 2020 foi o mais difícil dos 17 anos à frente do país.

Após o toque de recolher com início às Dez da noite, o show pirotécnico foi visto em Atenas, na Grécia. A Times Square, um dos principais cartões postais de Nova York, nos Estados Unidos, foi isolada por policiais. A tradicional festa da virada, que contará com show da cantora brasileira Anitta, será restrita e com transmissão pela internet. Na França, o policiamento na famosa avenida parisiense Champs-Elysée, que costuma receber multidões para a virada, foi reforçado para garantir o cumprimento do toque de recolher, às oito da noite. Cartazes no Metrô da cidade anunciaram uma “boa notícia”: o ano de 2020 acabou.

*Com informações da repórter Nanny Cox